Um microscópio no celular

por Alfredo Mateus
Microscópio no celular

O que é?

Um suporte para se colocar uma lente em frente à câmera de um smartphone e transformá-lo em um microscópio. A lente pode ser facilmente retirada de um apontador laser.

Por que é interessante?

Observar e fotografar estes objetos são atividades que podem ajudar na compreensão do fenômeno e a sua relação com o modelo.

Como usar

Coloque o suporte no celular, de modo que a lente fique sobre a câmera. Centralize bem a lente sobre a câmera. Ligue a câmera e procure algo interessante para fotografar bem de perto. A lente possui uma distância focal muito curta, então devemos aproximar o telefone bem próximo do objeto a ser fotografado. No meu telefone, o objeto a ser fotografado deve ficar em torno de 1 cm da lente.

instalado no celular
instalado no celular - outro ângulo

Faça o seu

Baixe o modelo do Thingiverse: https://www.thingiverse.com/thing:4263798

O modelo foi adaptado do suporte para um microscópio de celular desenvolvido pelo Pacific Northwest National Laboratory (https://www.thingiverse.com/thing:667471). O modelo deles usa uma bolinha de vidro, que tem uma curvatura maior e portanto aumenta mais. Mas a lente de apontador laser pode ser mais fácil de se encontrar.

A impressão é muito rápida e usa uma quantidade muito pequena de plástico, tornando este projeto algo que você pode fazer em quantidade para que muitos alunos possam fazer as observações ao mesmo tempo.

Após imprimir o modelo, você vai precisar de uma lente. Nosso modelo usa uma lente retirada de um apontador laser.  Basta você desenroscar o bico do apontador e remover um parafuso de plástico pretoe você retira facilmente a lente. 

Se você não tiver acesso a uma impressora, pode improvisar um suporte usando um pedaço de EVA com um furo e fita adesiva. 

Reações Químicas bem de perto

Você tem um microscópio com uma câmera (de vídeo, além de fotografias). Mas o que você vai filmar? Vamos dar algumas ideias de reações químicas que podem ficar bem mais interessantes quando vistas com mais proximidade. Como falamos, o telefone deve ficar muito próximo do espécime a ser fotografado, então temos uma área muito pequena que pode ser focalizada. 

Cristais de cobre

O primeiro exemplo apresentado no vídeo abaixo é a reação entre a ponta de um prego bem pequeno e uma solução de sulfato de cobre (II). Na reação se formam cristais de cobre metálico, que vão crescendo lentamente na forma de fractais. 

Nosso segundo exemplo também é uma reação em que cristais são formados. Colocamos um fio de cobre fino em contato com uma solução de nitrato de prata. Após a adição de algumas gotas de nitrato de prata, podemos ver os belíssimos cristais de prata se formando ao redor do fio. Acelerei o vídeo após cerca de 40 segundos para mostrar o resultado mais rapidamente.

O que mais podemos ver no microscópio além de cristais? Bolhas. Para isso cortamos uma fita de magnésio na metade no sentido do comprimento e colocamos algumas gotas de ácido clorídrico 0,5 mol/L. Você pode variar a concentração do ácido e ver o acontece com a velocidade da reação. 

Falar de reações químicas logo nos lembra das reações em que um precipitado se forma. Mas quando fazemos essas reações em um tubo de ensaio, elas são muito rápidas, instantâneas, o que não ajuda muito se você quer fazer um vídeo. Para observar a precipitação em “câmera lenta”, usamos um pequeno truque. Em uma placa de vidro, colocamos uma gota de cada reagente em lugares distintos, com cerca de um ou dois centímetros de separação entre elas. No caso, usamos soluções de iodeto de potássio e nitrato de chumbo. Colocamos no meio das gotas dos reagentes, uma gota de água, que irá conectar as duas outras gotas. Apontamos a nossa câmera para essa gota de água central. Após algum tempo, os íons dos dois reagentes irão se encontrar no meio do caminho, à medida em que eles se difundem. Quando isso acontece, belos cristais amarelos de iodeto de chumbo aparecem. Como a reação se dá lentamente, esses cristais têm tempo de crescer à medida que se formam e ficam muito maiores e brilhantes que os obtidos numa reação comum em um tubo de ensaio.

Finalmentes

Além de vídeos você pode fotografar objetos que tenham detalhes muito pequenos. Com certeza seus alunos vão apontar esse microscópio para uma infinidade de coisas interessantes. Abaixo algumas ideias para você e seus alunos saírem fotografando e explorando.

Se curtiu esse artigo, comente e compartilhe com seus colegas!

Artigos relacionados

Deixe um Comentário